PROGRAMAÇÃO – II ENCONTRO SOBRE FENÔMENOS NATURAIS, ADVERSIDADE E MUDANÇAS CLIMÁTICA NA REGIÃO SUL

PROGRAMAÇÃO DO  

II ENCONTRO SOBRE FENÔMENOS NATURAIS, ADVERSIDADES E MUDANÇAS CLIMÁTICAS DA REGIÃO SUL.

  

II EFAMuC

 

DATA:

07 e 08 de Outubro de 2009 (com complementação no dia 09).

 

LOCAL:

Auditório/Salão do Grêmio Fronteira (capacidade para mil (1000) pessoas sentadas) no centro de Araranguá. Stands com material eco-turísticos e de entidade sociais serão instalados dentro do salão. Haverá sala especial para exibição de documentários sobre mudanças climáticas e restaurante/bar aberto em tempo integral.

OBJETIVO GERAL:  

Conscientização da população afatada pelas frequentes e intensas ocorrências de Fenômenos Naturais, Adversidades e Mudanças Climáticas especificadamente na região entre o Oceano Atlântico e a Serra Geral da costa Catarinense, abrangendo as bacias hidrográficas localizadas entre o Vale do Mampituba (Divisa entre SC e RS) e o Vale do Itajaí (Blumenau). Considerando ainda as prolongadas estiagens que ocorrem no entorno da citada região, tanto em Santa Catarina quanto no Rio Grande do Sul.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

1.     Promover debates, informação e esclarecimento sobre aspectos preventivos e de adaptação às populações que vivem em áreas afetadas pelas adversidades e mudanças climáticas na região Sul; 

2.     Elaborar documentos direcionados aos governos para que passem a comprometer-se com a instalação de infra-estrutura adequada e a investir em adaptação e pesquisas sobre a peculiar vulnerabilidade climática na região;

3.     Dar voz às comunidades afetadas pelas mudanças climáticas e seus efeitos climáticos extremos na região sul para que suas demandas sejam reconhecidas também a nível nacional e internacional, visibilizando-as nos vários processos voltados a temática, como por exemplo, nas negociações multilaterais da COP 15, em Copenhague no final do ano;

4.     Contribuir, desde esta região vulnerável e afetada no Sul do Brasil e suas comunidades, no fortalecimento de um movimento mundial de afetados pelas mudanças climáticas que reclama reconhecimento e alternativas de adaptação e já se mobiliza na formação de resistência e soberania energética e alimentar no nível local.

JUSTIFICATIVA

Araranguá foi o epicentro do Furacão Catarina, o primeiro furacão registrado no Atlântico Sul, em 28 de Março de 2004, situa-se na região litorânea do sul de Santa Catarina, entre as bacias do rio Mampituba, que faz divisa entre SC e RS, e do Vale do Itajaí, também castigada por desastres climáticos e que despertaram a solidariedade nacional em Novembro de 2008. Entre estes dois extremos, encontrasse uma planície que tem ao Leste o Oceano Atlântico e ao Oeste a encosta da Serra Geral com os maiores canyons da América do Sul. Destaca-se também a região carbonífera de Criciúma, Tubarão, Laguna e da Grande Florianópolis. A região é reconhecida, por sua geografia e relevo diferenciado, como uma área de grande vulnerabilidade aos eventos climáticos extremos que já se intensificam e devem se tornar mais freqüentes com o aquecimento do Planeta.

Em 2005, o I Encontro sobre Fenômenos Naturais, Adversidades e Mudanças Climáticas na Região Sul reuniu mais de 700 participantes locais, nacionais e internacionais no debate e na busca por informações sobre estes fenômenos, suas causas, conseqüências e estratégias de adaptação. Em 2009 espera-s reunir um público de educadores das redes Municipais e Estadual, universitários, acadêmicos, gestores públicos, a defesa civil, a classe política, comunidades afetadas pelos eventos climáticos extremos, agricultores, ONGs e movimentos sociais  e movimentos de mulheres, visando:

REALIZAÇÃO:

A realização de evento está a cargo da Câmara Temática do Meio Ambiente do Fórum de Desenvolvimento do Extremo Sul Catarinense (FDESC) sob a Coordenação da ONG Sócios da Natureza, da Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense (AMESC), do Núcleo Amigos da Terra/Brasil, Secretaria de Desenvolvimento Regional (22ªSDR), da Prefeitura Municipal de Araranguá (PMA) e do Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio Araranguá (CGBHRA).

Conta também com o apoio das seguintes organizações e coletivos: Assembléia Legislativa do Estado de Santa Catarina (ALESC), Centro de Apoio Socioambiental (CASA), Rede Brasileira de Justiça Ambiental (RBJA), Amigos da Terra Internacional, Defesa Civil de Santa Catarina, Movimento Pró-Araranguá (MPA), Instituto da Cidadania de Araranguá (ICANMP), Pró-Comitê da Bacia do Mampituba e Federação de Entidades Ecologistas Catarinenses (FEEC).

PROGRAMAÇÃO RESUMIDA:

OBS. I – Haverá no hall de entrada do Grêmio Fronteira uma instalação do artista plástico Edi Balodi com apoio do também artista Alex Rocha.

OBS. II – No local também haverá exposição de temas relacionados ao meio ambiente, educação e ecoturismo  da AMESC, IF-SC, Resistência Santa Cruz, Amigos da Terra e Município de Araranguá.

DIA 07 DE OUTUBRO – QUARTA-FEIRA

9:00 –ABERTURA

9:30 – PAINEL DE ESPECIALISTAS:

O que está acontecendo com o clima na região quais são os prognósticos científicos? Quais são e como responder às vulnerabilidades regionais às mudanças climáticas?

14:00 – PAINEL DE TESTEMUNHOS

Como o clima está mudando para as pessoas e comunidades da região Sul? Depoimentos de vítimas e afetados pelos eventos climáticos extremos na região.

16:00 – ATIVIDADES SIMULTÂNEAS DE INTEGRAÇÃO

Palestra Educação e Mudanças Climáticas

Sessão de Vídeos sobre Justiça Climática 

Grupos de Trabalho Temáticos 

19:00– AUDIÊNCIA PÚBLICA 

Mudanças Climáticas e o Código Florestal

DIA 08 DE OUTUBRO – QUINTA-FEIRA 

9:00 – PAINEL SOBRE POLÍTICAS PÚBLICAS 

Políticas públicas de mitigação e adaptação às mudanças climáticas.  

Posições e expectativas para as negociações internacionais do clima em Copenhague (COP15)  

14:00– PAINEL DOS ATORES ENGAJADOS NAS MUDANÇAS 

Depoimentos sobre iniciativas em curso para mitigação e adaptação às mudanças climáticas: os atores e os elementos da transição  

16:30 – PALESTRA DE ENCERRAMENTO 

Visões positivas para o clima e para a Terra  

18:00 – Aprovação da Carta do II Encontro e Celebração 

DIA 09 DE OUTUBRO – SEXTA-FEIRA 

9:00- 12:00 – REUNIÃO DOS ORGANIZADORES PARA AVALIAÇÃO E ENCAMINHAMENTOS

PROGRAMAÇÃO DETALHADA  

DIA 07 DE OUTUBRO – QUARTA-FEIRA 

8:00 – 9:00 – CADASTRAMENTO DOS PARTICIPANTES, DISTRIBUIÇÃO DE MATERIAL  

9:00 – 9:30 – ABERTURA  

         Boas vindas e pronunciamento dos organizadores e das autoridades sobre expectativas para o evento

         Mística (música, teatro, celebração ecumênica) 

9:30 – 12:00 – PAINEL DE ESPECIALISTAS  

O que está acontecendo com o clima na região e quais os prognósticos científicos?  

Quais são e como responder às vulnerabilidades regionais às mudanças climáticas?  

Moderação: Tadeu Santos (ONGSN) e Jobson Martinho (Amesc) 

Painelistas: 

•   Wagner Soares – CPTEC/INPE. As causas e conseqüências das Mudanças climáticas e previsões para a região sul 

•   Ruben Junqueira Villela – IAG / USP. O inesperado Furacão Catarina

•   Luiz Fernando Scheibe – UFSC. Vulnerabilidades e impactos do clima na zona costeira 

•   Juares Aumond – FURB, A maior tragédia Geoclimática da História Brasileira 

•   Marcelo Calazans – FASE/RBJA, O elixir mágico da tecnologia e o impacto das falsas soluções climáticas sobre os territórios 

12:00 – 12:30 QUESTÕES DO PÚBLICO  

PAUSA PARA ALMOÇO 

14:00 – 16:00 – PAINEL DE TESTEMUNHOS  

Como o clima está mudando para as pessoas e comunidades da região Sul? Depoimentos de vítimas e afetados pelos eventos climáticos extremos.

Moderação: Ernani Palma Ribeiro (Prefeitura de Araranguá e Defesa Civil) Carolina Herrmann ( Amigos da Terra Brasil) 

Testemunhos:

•   Populações afetadas em Santa Catarina

•   Populações afetadas no Rio Grande do Sul 

•   Testemunhos nacionais e internacionais 

•   Testemunhos e intervenções do público 

16:00 – 18:00 – ATIVIDADES SIMULTÂNEAS DE INTEGRAÇÃO DOS PARTICIPANTES  

Palestra Sobre  Educação e Mudanças Climáticas (Salão Principal), com:  

•   Daniel José da Silva – UFSC, As mudanças climáticas e a teoria do colapso: oportunidades de aprendizagem

Sessão de Vídeos sobre Justiça Climática (Sala de Vídeos)

Grupos de Trabalho Temáticos (espaços diversos):  

  • GT Energia e Mudanças Climáticas  
  • GT Cidades e Mudanças Climáticas  
  • GT Comunicação e Mudanças Climáticas
  • GT Adaptação às Mudanças Climáticas / Repostas aos desastres climáticos  

PAUSA PARA O LANCHE 

19:00 – 22:00 – AUDIÊNCIA PÚBLICA  

Mudanças Climáticas e o Código Florestal  

Moderação: Leonardo Carvalho (UFSC) 

Palestrantes: 

•    Darlan A. Dias – Ministério Público Federal MPF – A questão legal e impactos dos códigos estaduais 

– Ministério do Meio Ambiente , Florestas e clima

•   Felipe Amaral – Istituto Biofilia, As pressões das negociações do clima sobre o código florestal 

•    Ruben Nodari – UFSC, O Código de Santa Catarina, incoerências e conseqüências 

Debatedores:

•   Pery Neto – Federação das Entidades Ecologistas Catarinenses  (FEEC)

•   Nicolau Cardoso Neto – Movimento por um Código Ambiental Legal  (MOVICAL) 

•   Representante da Via Campesina do Rio Grande do Sul 

DIA 08 DE OUTUBRO – QUINTA-FEIRA  

9:00 – 9:30 – RELATOS E QUESTÕES DOS GRUPOS DE TRABALHO PARA O PAINEL    

9:00 – 12:00 – PAINEL SOBRE POLÍTICAS PÚBLICAS

Políticas públicas de mitigação e adaptação às mudanças climáticas.  

Posições e expectativas para as negociações internacionais do clima em Copenhage  

Moderação: Décio Góes (Comissão de Mudanças Climáticas da ALESC) e Djalma Santos Niles Coordenador da Defesa Civil da 22ª SDR 

Painelistas:

•   Leodegar Tiscoski – Secretário Nacional de Saneamento do Ministério das Cidades 

•    Suzana Kahn –  Secretária Especial para Mudanças Climáticas do Ministério do Meio Ambiente  MMA 

•   Emma Giada Matschinske – Capitão da Divisão de Previsões Ambientais da Marinha

•    Rubens Born – Vitae Civilis / GTClima do FBOMS 

•   Eduardo Giesen – CODEFF Amigos da Terra Chile

12:00 – 12:30 QUESTÕES DO PÚBLICO  

PAUSA PARA ALMOÇO 

14:00- 16:00 – PAINEL DOS ATORES ENGAJADOS NAS MUDANÇAS  

Depoimentos sobre iniciativas em curso para mitigação e adaptação às mudanças climáticas: os atores e os elementos da transição  

Moderação: Lúcia Ortiz ( Amigos da Terra Brasil) e Zezé (CUFA-RJ/ RBJA)

Depoimentos:

•   de Santa Catarina 

•   do Rio Grande do Sul 

•   dos atores nacionais e internacionais

•   intervenções do públic0

16:00- 18:00 – PALESTRA DE ENCERRAMENTO

Visões positivas para o clima e para a Terra  

Palestrantes (convidados): 

Mario Motta – CBN e RBS / SC

Lama Padma Samten – Instituto Caminho do Meio

OBS. Distribuição do CERTIFICADO DE PRESENÇA assinado pela Coordenação do II EFAMUC, Gerência de Educação da 22ª GERED e pela Secretaria Educação do Município de Araranguá. 

18:00- 18:30 – Leitura e Aprovação da Carta Política do II Encontro e Celebração  

DIA 09 DE OUTUBRO – SEXTA-FEIRA  

9:00 – 12:00 – REUNIÃO DE AVALIAÇÃO E ENCAMINAHMENTOS  

Redação final e encaminhamentos dos documentos e demandas do encontro baseadas nos apontamentos e avaliações da equipe de relatoria (Eliane, Jacque, Tzam, Valéria, Aurélia e Fernando), para a coordenação a ser realizado em outro local. Se houver patrocínio haverá um almoço de confraternização. 

II EFAMuC  

Coordenação Geral:  

Câmara Temática do Meio Ambiente do Fórum de Desenvolvimento do Extremo Sul Catarinense / FDESC (Sob a coordenação da ONG Sócios da Natureza). 

Realização:  

Sócios da Natureza ONGSN / FDESC (Tadeu Santos) 

AMESC (Jobson Martinho) 

Amigos da Terra Brasil – NAT (Lúcia Ortiz e Carolina Hermann). 

22º SDR – Defesa Civil Regional (Sargento Niles) 

Prefeitura Municipal de Araranguá (Leonardo Tiscoski) 

Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Araranguá (Ernani Palma Ribeiro)

Patrocinadores:  

Associação dos Municípios do Extremo Sul de Santa Catarina (AMESC), Prefeitura Municipal de Araranguá (PMA), Centro de Apoio Sócio Ambiental (CASA), Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR) – Governo do Estado de SC, Rede Brasileira de Justiça Ambiental (RBJA), Defesa Civil Estadual (DEDCCODE), Comitê de Bacia Rio Araranguá (CGBHRA), Amigos da Terra Internacional, Assembléia Legislativa do Estado de Santa Catarina (ALESC)

 Apoio:

UFSC, UNESC, UNISUL Araranguá, IF-SC Araranguá, GEREI de Araranguá, Criciúma, Tubarão, Grande Fpolis, Itajaí e Blumenau. Instituto da Cidadania de Araranguá (ICANMP), Movimento Pró-Araranguá (MPA), Federação das Entidades Ecologistas Catarinenses (FEEC), Pró-Comitê da Bacia do Mampituba.

Organização:  

Zions Comunicação e Eventos

Inscrções Grtuitas através do link: 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: